Baixinho marcou no Bessa (1-1)

Um ponto foi bom, mas Castores fizeram por merecer a vitória

Após um arranque difícil de campeonato, o FC Paços de Ferreira somou um ponto na deslocação ao Boavista, conseguindo juntar à interessante ideia de jogo das partidas anteriores a recompensa, que se quer seja de partida para uma campanha vitoriosa.
Os Castores entraram a mandar no jogo e, logo no primeiro minuto, Hélder Ferreira surgiu solto na esquerda e colocou Bracali à prova. Foi o sinal de que a equipa queria lutar contra a adversidade e assim se manteve até aos 12 minutos, altura em que o Boavista se adiantou no marcador, mercê de um lance pleno de sorte. Heriberto rematou à baliza do estreante Simão e a bola desviou em Maracás, tomando um efeito caprichoso que a fez entrar sem hipótese de defesa para o guarda-redes pacense. Repetia-se o filme do jogo anterior, onde o Santa Clara também tinha marcado no primeiro remate feito à baliza. No entanto, a equipa não se desmotivou e continuou personalizada em campo, não admirando que a igualdade tenha chegado cinco minutos depois. Murilo entrou na área do Boavista e foi claramente derrubado por Lucas, tendo Manuel Mota assinalado a respetiva grande penalidade. Chamado a convertê-la, Marco Baixinho fê-lo com classe, marcando o primeiro golo do Paços na competição. Por esta altura o Paços era claramente a equipa que melhor futebol praticava no relvado, perante um Boavista que usava a força física e o futebol direto para tentar criar perigo a Simão Bertelli. Pouco depois da meia-hora os Castores desenvolveram uma excelente jogada coletiva, que terminou com o remate de Hélder Ferreira para a defesa segura de Bracali. O Paços era a equipa mais objetiva em campo e, logo de seguida, um cruzamento tenso obrigou um defensor axadrezado a um corte muito arriscado na área. A partida chegou ao intervalo igualada no resultado (1-1), mas a balança da qualidade de futebol pendia claramente para o lado do Paços.
No segundo tempo a equipa pacense entrou novamente melhor e, aos 49’, Hélder Ferreira voltou a dispor de uma boa chance para marcar. Surgiu isolado na área, mas o remate à meia-volta foi travado com o pé pelo guarda-redes do Boavista. Os axadrezados tiveram o seu melhor período no jogo a partir dos 60 minutos, quando dispuseram de uma série de pontapés de canto e outras situações de bola para que criaram algum apuro para a defensiva pacense. A situação mais eminente de golo ocorreu aos 70’, quando Mateus rematou para a baliza, mas um decisivo corte de Bruno Santos levou a bola a subir e a bater na barra, perdendo-se a oportunidade de golo. Filipe Rocha reagiu com as entradas de Oleg e Diogo Almeida, fazendo com que o Paços voltasse a ficar por cima no jogo, mercê da excelente entrada do jovem moldavo para a ala esquerda pacense. Aos 89 minutos o Paços teve mesmo a vitória nos pés de Pedrinho. O capitão arranjou espaço à entrada da área, mas o venenoso remate para golo foi salvo por uma soberba intervenção de Bracali, que assim “roubou” a vitória aos Castores.
A partida terminaria igualada (1-1), permitindo ao Paços somar o seu primeiro ponto na competição, mas tão importante quanto isso foi a qualidade de jogo que a equipa apresentou, provando que tem capacidade mais do que suficiente para ombrear com todas equipas da I Liga na luta pela vitória. Esse desejado objetivo poderá ser atingido na próxima jornada, quando os Castores receberem o Marítimo (sábado – 16h30) no Estádio Capital do Móvel, para a 4ª jornada da competição.

Estádio: Bessa Século XXI

Árbitro: Manuel Mota, auxiliado por Jorge Fernandes e Pedro Fernandes.
Disciplina: Cartão Amarelo: Bueno (39’); Obiora (45’+1); Cassiano (48’); Diaby (54’); Marlon (74’); Carlos Carneiro (DD, 90’); Mateus (90+3’) e Luiz Carlos (90’+3).
Cartão Vermelho: Lito Vidigal (83’).

BOAVISTA FC: Rafael Bracali; Carraça, Neris, Lucas e Marlon; Rafael Costa, Obiora (Y.Ackah, 45’) e Heriberto; Mateus, Stojiljkovic (Yusupha, 80’) e Bueno (Cassiano, 45’).
Não utilizados: João Gonçalves; Ricardo Costa, G. Sauer e Fábio Espinho.
Treinador: Lito Vidigal

FC PAÇOS DE FERREIRA: Simão Bertelli; Bruno Santos, Marco Baixinho, Maracás e Bruno Teles; Diaby, Luiz Carlos e Pedrinho; Hélder Ferreira (Oleg, 75’), Dadashov (Diogo Almeida, 79’) e Murilo (Bernardo, 66’).
Não utilizados: Marco; André Micael, Rafael Gava e Yago.
Treinador: Filipe Rocha

Ao intervalo: 1-1

Resultado final: 1-1

Marcadores: Heriberto (12’); Marco Baixinho (17’)

Noticias Relacionadas