Paços joga, luta e saboreia o merecido triunfo

Vitória nos descontos sobre o Belenenses (2-1)

Se há final perfeito para um jogo, o desta tarde com o Belenenses entra para o rol dos que exemplificam esse espírito pacense de lutar até ao fim em busca da vitória para as nossas cores. A importância da partida era inegável e esta acabou por ter todos os condimentos de dramatismo e imprevisibilidade que só o futebol consegue transmitir. O Paços retomou muito bem a Liga e, para além de seis pontos em nove possíveis, fica na retina a forma como a equipa tem jogado e lutado pelos precisos pontos nesta ponta final da competição.
O Belenenses estava há seis jornadas sem perder na Liga e começou por justificar o porquê desse bom momento. Tiago Esgaio marcou um grande golo logo aos seis minutos e esteve próximo de bisar (atirou de cabeça à trave) aos 22 minutos, O Paços jogava bem, dominava o jogo, mas tinha dificuldade em chegar à baliza de Koffi. A grande oportunidade de empate esteve em lance individual de Douglas Tanque, que rematou na área de costas para a baliza (38’) e só uma grande defesa do guarda-redes adversário evitou o golo. A perder ao intervalo, Pepa lançou em campo Bruno Santos e Adriano Castanheira e o extremo pacense entrou logo em ação ao ser derrubado na área por Rúben Lima. Penalti claro que Douglas Tanque bateu com classe, recolocando a igualdade e abrindo todo um segundo tempo para a reviravolta pacense. A partida ficou então um pouco partida, com o Belenenses a deixar a ideia clara de querer levar os três pontos, tal como o Paços demonstrava nessa disposição, sendo mesmo a única equipa a conseguir a partir daí criar situações para marcar. Douglas Tanque cruzou na perfeição (57’) para João Amaral falhar o golo frente a frente com Koffi e, a sete minutos do fim, foi a vez de Adriano Castanheira ter tentado o golo de primeira, quando estava isolado na área e a bola sai ao lado.
O Paços merecia ser feliz na partida e o grande momento de alegria acabaria mesmo por chegar nos descontos. Zé Uilton, também lançado por Pepa, entrou em velocidade pela esquerda e cruzou tenso para Phete desviar involuntariamente a bola para a sua baliza, semeando a loucura da felicidade no Estádio. Festejos exuberantes e coletivos, bem merecidos pelo espírito de equipa e luta que o Paços tem demonstrado nesta fase decisiva da Liga. A equipa chega assim aos 28 pontos na prova e está no caminho certo para se manter na I Liga. Há agora sete jornadas para selar essa permanência, procurando manter este grande espírito vitorioso já na próxima quarta-feira, em Tondela (19h00).

Estádio: Capital do Móvel
Árbitro: Artur Soares Dias (Porto), auxiliado por Rui Licínio e Paulo Soares
Disciplina: Cartão Amarelo; Gonçalo Silva (39’); Adriano Castanheira (62’); João Amaral (64’); Bruno Santos (78’); Edi Semedo (89’); Nilton (90’+1); Hélder Ferreira (90’+2); Diaby (90’+5).

FC PAÇOS DE FERREIRA: Ricardo Ribeiro; Jorge Silva (Bruno Santos, 45’), Marcelo, Marco Baixinho e Oleg Reabciuk; Pedrinho, Eustáquio e Vasco Rocha (Adriano Castanheira, 45’); João Amaral (Zé Uilton, 78’), Douglas Tanque (Deni Jr. 82’) e Hélder Ferreira (Diaby, 71’).
Não utilizados: Marco Ribeiro, Bruno Teles, Maracás e Welthon.
Treinador: Pepa

BELENENSES SAD: Koffi; Esgaio, Gonçalo Silva (Danny, 45’), Nuno Coelho e Rúben Lima; Phete, André Santos (Chano, 59’) e Show; Licá (Keita, 86’), Cassierra (Nilton, 86’) e Marco Matias (Edi Semedo, 75’).
Não utilizados: André Moreira; Dieguinho, Calila e Pina.
Treinador: Petit

Ao intervalo: 0-1

Resultado Final: 2-1

Marcador: 0-1 Esgaio (6’); 1-1 Douglas Tanque (48’ gp); 2-1 (Phete 90’+2 ag)

Noticias Relacionadas